Maresia sonora: o Old Surfers chegou para transformar a surf music tradicional

Por Marllon Gauche

Nessa vida tudo pode pode virar referência. Desde as nuvens no céu até uma onda no mar, como já cantava Lulu Santos. Mas para que referências se transformem em músicas boas, é preciso pelo menos dois ingredientes nesta receita: criatividade, claro, e alguém com experiência o suficiente para tirar a ideia do mundo lúdico e aplicá-la na vida real. No caso de Old Surfers, como o plural já entrega, não é apenas uma pessoa responsável pelo projeto, mas três.

Old+Surfers+3.jpg


O grupo é formado por Luiz Bueno, Manoel Vanni e Renato Patriarca, personagens que, para muitos, dispensam apresentações, mas que aqui fazemos questão de introduzi-los. Luiz é metade do Duofel ao lado de Fernando Melo, ambos já foram eleitos como um dos 70 Mestres Brasileiros da Guitarra e do Violão pela aclamada revista Rolling Stone Brasil. O projeto tem história. Mais de 40 anos de estrada, 12 álbuns lançados e dois DVDs, além de turnês pelos Estados Unidos e alguns prêmios na bagagem.

Ao lado dele, Manoel Vanni, um dos pioneiros na música eletrônica brasileira, produtor com mais de duas décadas e meia de experiência. Além do mar, pode-se dizer que um de seus ambientes favoritos é também o estúdio, local onde fica imerso por horas e horas para dar vida às suas criações. Trabalhando através de diferentes pseudônimos, seja como Manni ou com seu projeto M4J, Manoel angariou a atenção de grandes artistas com seu trabalho e acumula um número extenso de lançamentos nos dias de hoje.

O terceiro integrante do Old Surfers atende pelo nome de Renato Patriarca, soa familiar para você? Inserido na indústria desde 1996, ele já trabalhou em muitos discos ao lado de artistas do cenário nacional como CPM22, Tihuana, Charlie Brown Jr e Titãs, no álbum Sacos Plásticos, disco que lhe rendeu o Grammy Latino de Melhor Álbum de Rock de 2009. Atualmente ele é frontman dos selos Clash e Scandalo Music, além de trabalhar com masterização no estúdio Midas desde 2010. Consegue imaginar no que resultaria a união destes três mestres da música brasileira? Bom, melhor do que imaginar, é ouvir.

O Old Surfers é a voz do oceano conversando com a alma da música eletrônica, uma união que traz uma nova roupagem para a surf music tradicional, transformando os acordes clássicos de violão junto de baterias e sintetizadores de forma muito contemporânea e classuda. Os três somaram algumas de suas maiores paixões — surfe e música eletrônica — e conseguiram entregar algo que realmente foge dos moldes tradicionais.

A música se constrói em torno de estilos diversos como Trip Hop, House e Ambient Music. O primeiro trabalho viu a luz do dia em maio desde ano, no EP de estreia que levou o mesmo nome do projeto. Em seguida, o trio lançou Black Lizard e, mais recentemente, Shell Sand, EP de três faixas com abordagens distintas que facilmente envolvem o ouvinte através de suas características peculiares. Enquanto a faixa-título tem como protagonista as notas e solos de guitarra, “Indo Funk” ganha uma estética mais groovada e “Nose Ride” é capaz de hipnotizar com uma atmosfera bastante introspectiva. Rema com a gente e prepare-se para surfar uma onda alucinante: