Kenny "Dope" Gonzalez Presents Axxis ‎– Axxis

Por Francisco Cornejo

kd.jpg

Kenny Dope nem precisa se esforçar mais, seu lugar está garantido e sua reputação galvanizada na história da dance music desde seus primórdios. Sendo parte ativa e essencial de toda a movimentação que colocou sua nativa Nova York no rol das capitais mundiais da vida noturna dançante, ele é um daqueles poucos que pode se gabar de ter se reinventado algumas vezes e, no processo, gerado forças sísmicas potentes o suficiente para transformar a paisagem musical ao seu redor.

Embora seja fácil escolher trabalhos e projetos dele que se encaixam perfeitamente na categoria de clássicos ou revolucionários, é justamente em meio a essa opulência que alguns menos alardeados acabam por cair pelas frestas das vogas ou se esconderem nas dobras do tempo. E, dada a produtividade e ecletismo desse senhor, esse tipo de trabalho dele abunda em quase todos os gêneros que compõem o grande caldo original de onde se originou basicamente tudo que hoje concebemos como club music.

Entre esses tantos projetos que, por um motivo ou outro, foram relegados às margens do cânone histórico, um que merece atenção e louvor é o EP "Axxis" de seu projeto homônimo.  Lançado em 1992 por um selo tão obscuro quanto basilar naquele momento crucial das fundações da House nova-iorquina, o One Records, esta coleção de quatro potentes faixas que exibem o potencial de Kenny de uma forma muito pura e seminal. Todo o esmero com a criação das bases e a concatenação das levadas, aliado a uma sofisticada seleção e edição de samples, já mostram muito daquilo que Kenny era como DJ e encerram muito do que ele se tornaria como produtor. Claro que a companhia no catálogo da gravadora era uma das melhores que se poderia ter naquele momento, contando seu truta/mentor Todd Terry, com quem compartilhou origens, estúdios e espaço nos sulcos de um ou outro lançamento naquele período.

Aqui Todd contribui com uma versão espetacular de "Dancin'", devidamente recheada daquele staccato de órgão que viriam a se tornar um dos gabaritos da House oriunda da quebrada deles, o Brooklyn. Outro célebre colaborador é Roger Sanchez, que aqui despe o monstro que Kenny já nos oferece na original de "All I'm Askin'" para enfatizar os elementos básicos e mais potentes de sua composição: o bumbo estrondoso que invade o peito e move os quadris e aquele hi-hat venenoso que escova os ouvidos e empurra os pés.

Arrematando tudo, temos outras duas faixas que, em sua simplicidade individual, podem parecer cruas, mas nos dão um belo exemplo do melhor que a escola dos fundamentos do Hip Hop na qual Kenny se formou com honras pode oferecer. Elas são exercícios de cortes e montagens de breaks, oferendas rítmicas básicas que são tanto ferramentas para seus pares quanto demonstração de seu talento na forja delas.

Axxis, enquanto promessa e resultado, encapsula um momento muito rico e prenhe de possibilidades não apenas do que Kenny Dope faz de melhor, mas também do que posteriormente se tornaria o universo musical que fez de Nova York o terreno fértil que continua a nos oferecer tantas coisas fantásticas.

36607635_10156577219673980_1434729478721896448_o.jpg

Kenny Dope se apresenta neste domingo, 22/7 na Funk The Vibe com os DJs Lúísa Viscardi, Rafael Moraes e o aniversariante, Chico Cornejo. Link para o evento aqui.