JP Florence

Por Francisco Cornejo

JP.jpg

Porto Alegre, uma urbe repleta de contrastes, sejam eles climáticos, étnicos ou mesmo políticos, é uma das capitais mais surpreendentes e autênticas do país. E isto se deve a uma singular capacidade de aglutinar dentro de seus limites territoriais muito daquilo que enriquece nossa identidade nacional, especialmente no âmbito cultural. Assim, não é algo surpreendente que a capital gaúcha tenha servido de uma iniciativa como a NEUE, um núcleo que não apenas estendeu o alcance do fenômeno das festas independentes à sua localidade, mas criou algo bastante autêntico nesse sentido.

Um de seus fundadores, JP é um seletor cuidadoso de faixas e produtor dedicado de eventos que, através de seus esforços junto ao coletivo, conseguiu imprimir uma necessária jovialidade à vívida noite porto-alegrense e colocá-la no mapa desse auspicioso momento que define os contornos da cultura noturna do país. E, claro, a proposta (ou desafio) por trás deste set com o qual ele nos mima aqui foi sintetizar o máximo possível o que faz da NEUE algo tão especial e que a impulsiona musicalmente.

Tudo que a tornou a primeira etapa do Dekmantel Tour que se hoje retorna à Fabriketa e amanhã chega ao Warung.

O que é NEUE e como se situa no cenário musical de sua cidade natal?
A NEUE é um selo de festas itinerantes aqui de Porto Alegre. Somos um rolê relativamente novo, começamos há uns 3 anos atrás com festinhas esporádicas mas a coisa começou mesmo a ficar séria faz 1 ano e meio, quando começamos a trazer artistas de fora de Porto Alegre e a investir mais na marca. Sempre buscamos apresentar uma sonoridade diferente (pelo menos do que se escutava um tempo atrás) como variedades da Disco, música dançante brasileira, etc... Acho que a NEUE se situa nesse mesmo cenário proposto, uma festa com variedade sonora, onde numa edição pode ser algo mais Brasil, em outra uma coisa mais House e ainda numa outra uma pegada mais Techno. O mais importante é que sempre buscamos apresentar artistas originais com propostas distanciados do usual.

Aliás, quais são as características mais distintivas da noite porto-alegrense e que fazem dela algo único?
Porto Alegre é uma cidade muito rica culturalmente, há inúmeras iniciativas empreendedoras tanto nas artes quanto no entretenimento. Nos últimos anos muitos coletivos de música, dança e artes em geral surgiram na cidade, isso torna a cena de Porto Alegre muito interessante, todo final de semana você encontra uma opção para se divertir. No meu ponto de vista o que falta para POA é uma maior união dessas micro cenas e uma maior profissionalização de todos para que todos cresçam e amadureçam em seus projetos.

E qual sua trajetória nela?
Minha trajetória é a trajetória da NEUE, anteriormente ‘’apenas’’ frequentava a noite, e muito. hehe. Comecei a me envolver profissionalmente mesmo quando criei a NEUE e aí então comecei a conhecer pessoas ligadas ao entretenimento e as artes em geral. Hoje desenvolvo muitos projetos junto essas pessoas tanto como DJ como produtor e empreendedor.

Há um movimento crescente de interconexão entre cenas locais que criou as condições para que essa tour do Dekmantel pudesse se espraiar por um vasto território, expandindo o circuito metropolitano usual. Como é fazer parte desse processo?
É fantástico! Estar junto com outras pessoas que fazem a mesma coisa que você em outras cidades desse Brasil é muito enriquecedor. Recentemente tivemos a Moretz da 1010 de BH, o Chanceler da Odara, anteriormente os Gops... É um momento de troca muito grande e essencial para o crescimento de todos. No final do ano estaremos em grande parte no XAMA 2019, acho que, apesar de tudo, vivemos um grande momento da música eletrônica no Brasil.

E quanto ao set que ouvimos aqui, há algum mote ou ideia que o orienta? Qual sua proposta central, se houver?
Esse set especificamente tentei passar um pouco do que é a vibe do Dekmantel para mim, festival que me influenciou muito no estilo que toco hoje em dia. Nele busquei tocar tracks que estou curtindo no momento e misturar estilos sem dó nem piedade.

Fora esse capítulo gaúcho da expedição holandesa, quais os próximos passos do coletivo?
Nossa próxima data é um showcase em Novo Hamburgo, cidade aqui perto de Porto Alegre no Elementum Temple. Depois disso temos mais duas festas em Porto Alegre até o final do ano, talvez uma boat party no Rio Guaíba e depois finalmente, férias merecidas no XAMA 2019!