Monica Soldan

deepbeep.jpg

Monica Soldan, brasileira que vive em Berlim, dirige sua força criativa com o melhor de cada cultura, uma influência híbrida que permeia fortemente em sua música. Neste breve e divertida conversa, a DJ fala sobre estilos musicais, parcerias e sobre o mix exclusivo para o deepbeep.

Fale um pouco sobre o seu set para o deepbeep. 

Quais foram as inspirações? 

Apenas busquei pelas melhores tracks nesse gênero que consegui encontrar, e coloquei tudo junto para ver o que saía, na intenção de mostrar aos amigos brasileiros (os que ainda não conhecem) essa nova onda de musica eletrônica repleta por aqui, estilo musical que esta invadindo os clubs e festivais.

A ideia de fazer o mix saiu de uma conversa com um amigo brasileiro que mora aqui em Berlim quando me perguntou o que eu achava desse novo estilo de música - "keta-house" - como ele chama (risos).

Os alemães chamam de downtempo, o que é bem diferente do downtempo de que conhecemos no Brasil do passado, é mais perto de um house com o pitch bem baixo.  

Qual a atmosfera que você quis criar? 
Uma atmosfera bem fácil e divertida para se ouvir numa radio, deep como o deepbeep.

E os estilos priorizados nesse mix? 
O estilo predominante é eletrônica. Hoje em dia não dá muito para separar estilos de música, eles se interconectam para que possam expressar a criatividade de cada artista.

Qual o melhor momento para ouvi-lo? 
No chuveiro? (risos) Pode ser para ouvir antes de sair, melhor momento é algo subjetivo, só ouvindo vocês saberão em que momento vão querer ouvir novamente, por curiosidade, quando ouvirem, poderiam me dizer qual é o melhor momento para vocês? 

Se você pudesse escolher qualquer festival no mundo para tocar, qual seria? 
Dá para escolher todos? Do Hippie ao hype! Tudo é diversão! Falando em festival, toquei agora em Julho num festival alemão que estiveram presentes 4.200 pessoas, antes de ir não sabia o que esperar pois os organizadores são super low profile que não divulgam nem line-up, original como daquelas primeiras raves que a gente ia em São Paulo, foi incrível ver aquela multidão dançando na minha frente, o horário foi o melhor que eu podia desejar, tudo foi perfeito e no "Yeke Yeke" fui aplaudida pelo dancefloor, muita emoção! Escutem neste link a apresentação.

O que você tem escutado de novo que recomenda? 
Então, ouço muito as produções dos amigos 'principalmente dos brasileiros', e das meninas brasileiras que vêm se destacando cada vez mais forte. Sempre acompanho e vibro pelo sucesso de todos, estão sempre no meu playlist, curto muito!

E outros brasileiros que têm me chamado a atenção como Osclighter (Eto) com classy-long waves Techno que me lembra Jeff Mills e o Lucas Freire com o beat sólido dando show em 4 pick ups com a gata dele. Fico muito orgulhosa de ver onde esses meninos estão atualmente como artistas - eu que os acompanhei lá no comecinho da carreira.

Quais os seus outros projetos em andamento e os planos para 2018?
Divido meu tempo modelando e tocando, temos um projeto de techno em andamento, quando tiver solidificado vocês saberão mais sobe isso, por agora deixo aqui meu agradecimento a todos vocês pelo seu tempo aqui comigo virtualmente aqui comigo virtualmente. Abraço carinhoso.

Links:
https://www.facebook.com/djmonicasoldan/
https://www.mixcloud.com/monicasoldan/